Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Precisando do nosso logo? Baixe-o em um dos seguintes formatos:
Vetorial (.svg)|Rasterizado em alta resolução (.jpg)|Ícone (.ico)
Obs.: não utilize nossa marca sem autorização.
Feito!
Erro!
Logo oeste capital topo.PNG
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Acusado de esfaquear homem com 44 golpes será julgado em júri popular, confirma TJ

VoltarVeja também
« Última» Primeira
ImprimirReportar erroTags:elas, perito, dependente, surtos, psicóticos, requereu, subsidiariamente e exclusão294 palavras4 min. para ler
Acusado de esfaquear homem com 44 golpes será julgado em júri popular, confirma TJ
Ver imagem ampliada
Chapecó - A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) confirmou decisão de comarca de Chapecó para submeter a julgamento, em sessão do júri popular, Jonas Ezequiel Borges, acusado de homicídio triplamente qualificado por esfaquear um homem que teria sido o autor do furto de sua bicicleta.

O crime aconteceu na Rua São Pedro, no bairro Pinheirinho. Segundo os autos, na noite do dia 15 de setembro de 2013, quando tinha 18 anos, depois de ingerir vodca e consumir cocaína, o acusado entrou na casa da vítima, que já estava bêbada e dormia no sofá, para esfaqueá-la com 44 golpes distribuídos por diversas partes do corpo.

Na época, ele confessou aos policiais que havia esfaqueado Alexandre de Jesus Ribeiro, de 30 anos de idade, e ainda jogou o corpo em uma vala, perto da casa, onde foi encontrado posteriormente com a indicação do próprio acusado, submerso na água da chuva.

A defesa solicitou sua absolvição sumária, sob alegação de que o agente era inimputável à época dos fatos, pois dependente de drogas e vítima de surtos psicóticos. Requereu ainda, subsidiariamente, a exclusão das qualificadoras do crime.

No entanto, o perito oficial revelou que o transtorno psicótico do réu, provavelmente induzido por drogas, é posterior ao ocorrido, de modo que ele deve ser considerado responsável por seus atos. Quanto às qualificadoras do crime, o relator do recurso, desembargador Sérgio Rizelo, assinalou que o contexto probatório fornece indícios suficientes para a manutenção da análise da matéria pelos julgadores populares. A decisão foi unânime.


Jonas também se envolveu no assassinato de um adolescente na saída de uma casa de shows, Clube da Amizade, em 6 de agosto de 2012. Quando a vítima saía do local, foi pego em uma emboscada por quatro pessoas, entre elas Jonas, na época ainda adolescente.

Fonte:Oeste Capital/TJSC
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!