Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Precisando do nosso logo? Baixe-o em um dos seguintes formatos:
Vetorial (.svg)|Rasterizado em alta resolução (.jpg)|Ícone (.ico)
Obs.: não utilize nossa marca sem autorização.
Feito!
Erro!
Logo oeste capital topo.PNG
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Chuva bate recorde mensal em Chapecó e São Miguel do Oeste

VoltarVeja também
« Última» Primeira
ImprimirReportar erroTags:completamente, relatório, divulgado, vendavais, granizo, deslizamentos, enxurradas e inundações479 palavras7 min. para ler
Chuva bate recorde mensal em Chapecó e São Miguel do Oeste
Ver imagem ampliada
Volume é o maior registrado em julho desde 1994 e 2011, nas duas cidades. 47 municípios foram afetados; 13 decretaram emergência e 1 calamidade.


A chuva registrada até esta quarta-feira (15) em Chapecó e São Miguel do Oeste já bateu o recorde para julho, faltando 15 dias para o fim do mês. De acordo com a Epagri/Ciram, o volume é o maior registrado em julho desde 1994 e 2011 nas duas cidades do Oeste, respctivamente.

Segundo a Epagri/Ciram, Chapecó totalizou 395,1 milímetros (mm) de chuva até esta quarta-feira (15). O recorde anterior era de 352,1 mm registrado em 1994.

Em São Miguel do Oeste, o valor acumulado até esta quarta foi de 368,4 mm. O recorde anterior era de 233,3 mm em 2011. O município também registou quebra de recorde de chuva em um período de 24 horas. Na terça (14) foi registrado 124 mm, superando o volume anterior de 93,6 mm em 1° de julho de 1992.

Acumulados de chuva

Segundo a Defesa Civil, até 8h desta quarta-feira (15), os acumulados de chuva na região Oeste eram: 240 mm em Maravilha, 209 mm em Chapecó, 211 mm em Seara, 200 mm em Ipumirim, 195 mm em São Miguel do Oeste, 198 mm em Concórdia, 196 mm em Xaxim, 185 mm em Itá, 178 mm em Capinzal, 169 mm em Lindóia do Sul, 158 mm em Palmitos e 142 mm em Águas de Chapecó.


No período de 24 horas, entre segunda e terça, os maiores acumulados de chuva foram em: Maravilha (203 mm), Chapecó (176 mm), Seara (168mm), Xaxim (160 mm), São Miguel do Oeste (159mm), Concórdia (157mm) está (147mm). De acordo com a Defesa Civil, a maior parte do acumulado ocorreu em 3 horas de precipitação.

Os ventos também castigaram algumas cidades. O pico registrado foi de 115 km/h, em Novo Horizonte entre às 21h e 22h da segunda-feira (13). Segundo a Defesa Civil, a suspeita é que tenha ocorrido uma micro-explosões e supercélulas, como ocorridos nos municípios de Mondai e Maravilha, também no Oeste.

Municípios afetados

Subiu para 47 o número de municípios afetados por temporais em Santa Catarina desde sexta-feira (10), segundo o último relatório divulgado pela Defesa Civil na manhã desta quarta-feira (15). Vendavais, granizo, deslizamentos, enxurradas, inundações, alagamentos, além da chuva intensa afetaram 2.870 pessoas.


Ao menos 14 cidades decretaram situação de emergência, sendo que em uma delas, Coronel Freitas, o decreto evoluiu para estado de calamidade pública. Os decretos estão nas esferas municipais e nenhum deles havia sido homologado pela Defesa Civil estadual até a manhã desta quarta, que aguarda o levantamento dos municípios após atender os atingidos.

Segundo a Defesa Civil, oito pessoas ficaram feridas e outras duas morreram em decorrência das chuvas. Uma mulher foi arrastada pela correnteza em Coronel Freitas, no Oeste, e um jovem de 19 anos foi atingido por uma descarga elétrica causada por um raio em São Joaquim, na Serra. Pelo menos 24 pessoas ficaram desalojadas e 40 desabrigadas.

Em relação aos prejuízos materiais, 880 casas e duas empresas ficaram danificadas ou destruídas. Também houve 20 infraestruturas e instalações públicas atingidas ou danificadas e 16 infraestruturas danificadas ou completamente destruídas.

Fonte:G1
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!