Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Precisando do nosso logo? Baixe-o em um dos seguintes formatos:
Vetorial (.svg)|Rasterizado em alta resolução (.jpg)|Ícone (.ico)
Obs.: não utilize nossa marca sem autorização.
Feito!
Erro!
Logo oeste capital topo.PNG
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Chuvas e deslizamento deixam mais de 250 mortos no sul da Colômbia

VoltarVeja também
« Última» Primeira
ImprimirReportar erroTags:ap, escapar, equador, fronteira, fica, centro, arrastada e terra241 palavras3 min. para ler
Chuvas e deslizamento deixam mais de 250 mortos no sul da Colômbia
Ver imagem ampliada
O número de mortos depois das chuvas e deslizamento que atingiram Mocoa, no sul da Colômbia, subiu para 250, em balanço divulgado pela CNN e a BBC, na manhã deste domingo (2). Cerca de 1,1 mil estão mobilizados na busca de desaparecidos. O governo decretou estado de calamidade pública. A Cruz Vermelha estima que 220 pessoas ficaram feridas. O site da rádio colombiana Caracol afirma que o número de desparecidos ainda está indeterminado. No levantamento da Cruz Vermelha divulgado no sábado (1º), mais de 200 pessoas estavam desaparecidas. Devido ao elevado número de desaparecidos, o número de mortos pode subir bastante ainda.

A cidade de 45 mil habitantes, capital do departamento de Putumayo, ficou devastada depois de ser atingida por fortes chuvas na noite de sexta-feira (31). A CNN relata que o temporal, que começou às 22h30 (no horário local), foi tão rápido que as pessoas tiveram que correr para escapar da água. Os rios Mocoa, Mulato e Sancoyaco transbordaram e muita terra foi arrastada até o centro de Mocoa, que fica perto da fronteira com o Equador e Peru. Pontes e estradas ficaram destruídas.

A Cruz Vermelha, o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Defesa Civil participam das operações de resgate. O trabalho das equipes de resgate é difícil, porque o acesso ao local é limitado. As únicas opções de transporte são avião e estradas precárias, de acordo com a BBC.


Fonte: G1

Foto: César Carrión/Oficina de Prensa de la Presidencia de Colombia via AP

Fonte:G1
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!