Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Precisando do nosso logo? Baixe-o em um dos seguintes formatos:
Vetorial (.svg)|Rasterizado em alta resolução (.jpg)|Ícone (.ico)
Obs.: não utilize nossa marca sem autorização.

Por favor, aguarde.
Link curto para esta página:


Feito!
Erro!
Logo oeste capital topo.PNG
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Cleber Santana valoriza bola parada e conta como foi o lance do gol de BR9

VoltarVeja também
« Última» Primeira
ImprimirReportar erro349 palavras5 min. para ler
Cleber Santana valoriza bola parada e conta como foi o lance do gol de BR9
Ver imagem ampliada
Meia afirma que Chapecoense tem lista de jogadas ensaiadas e que cobrança de falta diante do Grêmio foi mais aberta porque defensores marcavam perto da meta


Na vitória contra o Grêmio, na quarta-feira, mais uma vez a Chapecoense aproveitou a bola parada. Se no início do Brasileirão as cobranças de falta e escanteio raramente resultavam em gol, agora a história mudou. Nos últimos jogos, o Verdão do Oeste tem aproveitado melhor esse tipo de lance. E o meia Cleber Santana contou o que pensou na hora de levantar a bola na área para a testada de Bruno Rangel à meta - jogada que garantiu os três pontos para a equipe da casa. 

O meio-campista destacou que o grupo trabalha a bola parada na véspera das partidas. O que ajuda no entrosamento e na organização da equipe na hora das cobranças. Contra o Tricolor gaúcho, CS88 disse que o adversário estava marcando perto do gol e, por isso, resolveu cobrar a falta mais aberta.

- A gente costuma fazer essa jogada nos treinamentos. A equipe do Grêmio marca por zona, perto do gol. A gente tem essa jogada de colocar a bola na marca do pênalti e temos outras jogadas ensaiadas também. Então na hora decidi bater não tão perto do gol, onde estava o Bruno. A bola parada está decidindo muitos jogos, então tem que se aperfeiçoar bem - comentou o jogador, em entrevista coletiva. 

Para seguir com a boa fase na competição nacional, o experiente meio-campista diz que o mais importante é ter equilíbrio dentro de campo. 

- É ter organização e equilíbrio. Dentro de casa e fora , a gente tem que ter a inteligência de começar e terminar com 11. A gente está tendo esse equilíbrio. Domingo tem mais uma guerra, uma final. Quando tiver a bola, tem que buscar os três pontos - completou.

Na próxima rodada, a 13ª da Série A, a Chapecoense atua em Santa Catarina, mas longe da Arena. O duelo será contra o Avaí, adversário catarinense na competição nacional. A partida está marcada para o domingo, dia 12 de julho, às 18h30, na Ressacada, em Florianópolis.

Fonte:globoesporte.com
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!