Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Precisando do nosso logo? Baixe-o em um dos seguintes formatos:
Vetorial (.svg)|Rasterizado em alta resolução (.jpg)|Ícone (.ico)
Obs.: não utilize nossa marca sem autorização.
Feito!
Erro!
Logo oeste capital topo.PNG
93,3 FMOuça ao vivo
Tocando agora: Daqui a pouco mais músicas na Oeste Capital!

Homem que matou gerente da SDR de Dionísio Cerqueira é condenado a 19 anos de prisão

VoltarVeja também
« Última» Primeira
ImprimirReportar erroTags:executou, mandado, decisão, deverão, também, advogados, absolvição e família280 palavras4 min. para ler
Homem que matou gerente da SDR de Dionísio Cerqueira é condenado a 19 anos de prisão
Ver imagem ampliada
O Júri da dupla acusada de ter matado o gerente da Secretaria de Desenvolvimento Regional de Dionísio Cerqueira, Dalmar Libardoni, começou ás 9h desta terça-feira (25) e se estendeu até a madrugada desta quarta (26).

Segundo o site Portal SMO, a sentença foi lida pelo Juíz de Direito Luciano Fernandes da Silva, por volta das 1h45. Mário Rodriguez Duarte, autor dos disparos, foi condenado a 17 anos e 8 meses de prisão pelo crime de homicídio duplamente qualificado e mais dois anos por porte ilegal de arma de fogo. Ele continua foragido. 

Roberto Carlos Zuffo, que acompanhou o autor do homicídio no dia e no momento do crime, foi absolvido pela maioria dos jurados. Segundo a maioria dos votos, não havia materialidade na acusação contra Zuffo e ele foi solto imediatamente. Ele estava preso deste o último 18 de agosto, por força de um mandado de prisão preventiva.

De acordo com o Ministério Público e o advogado da família Libardoni, a acusação vai recorrer da sentença de absolvição de Zuffo. Os advogados de Mário também deverão recorrer da decisão ou pedir a nulidade do julgamento.

Lembre o caso

Dalmar Libardoni tinha 51 anos e era gerente de infraestrutura da SDR de Dionísio Cerqueira. Na tarde de 20 de dezembro de 2011, ele foi morto a tiros dentro da secretaria. Segundo o inquérito policial, Mário Duarte confessou o crime e explicou que a ação foi motivada pela exigência de pagamento de propina para a liberação do dinheiro que a construtora de Duarte esperava receber do governo do Estado. No dia do crime, ele foi até a SDR pedir explicações sobre o pagamento de serviços realizados pela empresa e depois de uma discussão ele executou o gerente a tiros.

Fonte:Reprodução/Internet
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Últimos recados

Curta o nosso site!